Com Plano Safra 19/20, Governo marca ponto positivo com o agronegócio, acredita consultor

Por 16 julho, 2019 Notícias Sem comentários
Compartilhe:

“O anúncio realizado na última semana pelo Governo Federal em relação ao Plano Safra 19/20 trouxe um novo ânimo ao setor do Agronegócio. Com a liberação de mais de R$ 225 bilhões destinados ao pequeno, médio e grande produtor, dos quais R$ 222 bilhões para o crédito rural, sendo R$ 169 bilhões para o custeio, comercialização e industrialização e outros R$ 53 bilhões para investimento, este plano safra é um marco e uma amostra positiva do planejado pelo Governo para o setor da agricultura, afinal o agronegócio é um dos principais alavancadores do PIB brasileiro, além de ser o pilar da economia do país”, ressalta Rui Rocha, sócio-fundador da Partner Consulting – empresa de consultoria de negócio que atende várias empresas no setor de Agronegócios.

“O volume financeiro priorizando a propriedade do pequeno e médio produtor, viabilizará a geração de receita e renda para a agricultura familiar”, comenta Rocha. Além disso, segundo o consultor, os investimentos vão promover o desenvolvimento do agronegócio a taxas de juros do Pronaf (Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar) de 3 a 4,5% ao ano, uma taxa adequada e competitiva. “Serão 31 bilhões à disposição para custeio, comercialização e investimento”.

“Com o volume financeiro disponibilizado, toda a cadeia do agronegócio se beneficia”, explica Rocha. Até então, segundo o consultor, existia um receio do agricultor e das empresas em relação as ações do governo em relação ao setor. “Com esse anúncio, ponto positivo para o governo”, avalia.

A possibilidade de investimento estrangeiro no agronegócio brasileiro também anima o setor. “Com o anúncio de 55 bilhões para as Letras de Crédito do Agronegócio (LCAs), emissão da Cédula do Produtor Rural (CPR) com correção pela variação cambial e a possibilidade de certificado de recebíveis do agronegócio (CRA) e Certificados de Direitos Creditórios do Agronegócios (CDCA) no exterior permite a atração de investimentos privados”, explica Rocha.  “A possibilidade de emissão de títulos no exterior para captação de recursos de fundos internacionais é sem dúvida um aspecto de suma importância no Plano Safra 19/20”, enfatiza. Rocha ainda explica que com essa medida, o produtor poderá recompor o funding, permitindo a entrada de recursos para ajustar a safra anterior, que ficou defasada.

Fonte: https://gestagro360.com.br/2019/07/04/com-plano-safra-19-20-governo-marca-ponto-positivo-com-o-agronegocio-acredita-consultor/

Receba nossa newsletter