Tanto na constituição do negócio quanto durante seu ciclo de vida, o Planejamento Societário é, aliado a outras práticas de Governança Corporativa, um alicerce para a longevidade da empresa.

Atualmente, empresas têm adotado diferentes estratégias de reorganização societária (transformação, fusão, aquisição, incorporação ou cisão) de forma a evoluírem e adaptarem-se às necessidades do mercado. Essas sociedades têm o objetivo de possibilitar maior segurança jurídica, tratamento contábil adequado e condição tributária diferenciada (tanto relacionada às atividades operacionais como à formação dos negócios), ou seja, além de oferecer mais segurança na gestão do patrimônio econômico e viabilizar a realização de parcerias e alianças estratégicas, o Planejamento Societário reduz eventuais conflitos e disciplina a administração saudável da sociedade, explorando oportunidades e protegendo os bens e interesses dos sócios frente a futuras situações.

O Planejamento Societário deve ser elaborado de forma criteriosa, considerando a forma de sociedade, composição acionária ou societária, estratégias de mercado e modelo de gestão do negócio. Dessa forma, ele contribui para que a empresa se desenvolva e se perpetue com uma base tanto patrimonial quanto jurídica, sólida e estruturada.