Gestão de riscos: a importância para a longevidade do negócio

Por 9 outubro, 2014 Artigos Sem comentários
Compartilhe:

gestao_de_riscoToda a empresa tem as suas especificidades. Para identificar a cultura, valores, processos e modelo de gestão é preciso mapear e entender o ambiente. Essa análise profunda, através de entrevista com gestores e observação dos procedimentos e atividades em campo, permite diagnosticar as fragilidades e os riscos do negócio.

A partir disso, é preciso definir quais são os riscos potenciais, que precisam ser gerenciados para não causar problemas para a organização. Esses riscos podem abranger perdas de estoque, perdas de receita, perda de ativos, elevação de custos, perda de capital intelectual e conhecimento, perda de informação, fraudes de colaboradores e terceiros, descontrole da gestão e do caixa.

Mais importante ainda é controlar os riscos que podem comprometer a continuidade do negócio, como desabastecimento de ponto de venda, interrupção da operação logística, indisponibilidade de caixa e crédito, multas e sanções legais, vazamento de informações estratégicas e confidenciais, perda de reputação por atos ilegais e antiéticos, entre outros.

Uma vez conhecidos e priorizados os riscos da organização, a etapa seguinte consiste em definir e desenvolver as soluções pragmáticas para mitigá-los, ou seja, reduzir a exposição dos resultados e a sustentação e perenização do negócio. A gestão de riscos é um processo dinâmico, contínuo e crucial para a boa governança de qualquer empresa. Portanto, todas elas devem ter a capacidade e competência para diagnosticar, priorizar, monitorar e gerir os seus riscos, sempre atentas às mudanças do ambiente interno e externo para não serem surpreendidas por riscos desconhecidos ou não controlados.

Deixe uma mensagem

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Receba nossa newsletter
WhatsApp chat